11.6.12

Every single night is a fight



Quase cinco da manhã e me pego com um pensamento ocupando o lugar do outro. E aqui os registro.

- Queria, muito, ser como penso que sou. Mas aí vejo de fora para dentro, sinto como me percebem, e farejo um cheiro enorme de fracasso e autocomiseração. Me sinto sujo, banal, irrelevante. Uma poeira soprada.

- Como estar ao lado de alguém que não fica seguro do seu lado? Como lidar com a mágoa de não conseguir ser confiado?

- Li outro dia que quem sofre abusos na infância cresce sexualizado em excesso e, vez ou outra, infantiliza-se. É isso. Eu não cresci, sou um eterno adolescente, querendo ser aceito, ser amado e ter as coisas resolvidas. Hei de aprender a ser adulto, mas não sei quando.

- Até quando vou seguir me sentindo o estudante vítima de bullying, apontado pelos colegas? Anos e anos se passam e a sensação segue a mesma.

- E nesses momentos me sinto ridículo, um estudante de quinta série ansioso e fatalista.

- Queria ser menos sujo.

- Queria não ser infeliz.

I just wanna feel everything.

2 Comments:

Blogger Ranzinza said...

Companheiro, conforme-se, somos o que somos, e para isso não há remédio!
Também queria ser muita coisa que não sou...

9:34 AM  
Anonymous Anônimo said...

Já eu não concordo com o amigo acima, conformar-se? Não, não devemos nos conformar. Se temos um objetivo, não podem haver obstáculos que nos façam desistir. Contudo, apenas nós humanos não temos força, porque toda nossa força é dele, o pai onipotente. Quer um conselho meu caro, procure a missa avivamento mais próxima de sua casa, se possível encontre um cerco de jerico. Peço a você que compareça nele por 3 vezes. E eu garanto que o pai tocará em você, e você não será o mesmo. Você pode ignorar esse comentário. Ou pode mudar sua vida ouvindo o chamado de Deus.

11:54 AM  

Postar um comentário

<< Home